Parvos para que vos quero…

Já começou a caça ao voto e aos parvos.

O IVA 20% é o sintomático exemplo que não existe na nossa classe politica (III Republica) ninguém que não se regesse por motivos eleitoralistas e não por motivos estratégicos.

Em suma, todo o esforço de suportar um imposto mais oneroso durante anos vai ser destruído pois o grande asno das coincineradoras e Engenheiro à pressa Sócrates quer conservar o poleiro.

O apertar do cinto que o estado esteve a exercer nas vacas magras vai ter que ser esbanjado para que mais uma vez o calendário eleitoral seja cumprido. A necessidade que o partido que está no poder tem de dar mostras de uma falsa eficiência é tanto que é preciso mostrar aos menos avisados que os impostos vão descer.

Mera ilusão para os parvos que fazem cruzes. Que o rigor orçamental vá para as urtigas pois estamos em crise. Depois daqui a dois anos aumenta-se o IVA novamente. E é assim que se governa Portugal.

Saber o milagre

Saber de antemão que a vida muda radicalmente numa determinada etapa da nossa vida é importante, mesmo que não tenhamos consciência da forma telúrica com que essa alteração nos afecta.

A passagem para uma nova fase da minha vida está a ser um mar de descobertas e entusiasmos nunca antes previstos. Até o que de antemão se afigurava como um processo potencialmente desconcertante e exigente psicologicamente foi antes um conjunto de realizações pessoais reconfortantes e uma aprendizagem impagável sobre mim próprio.

Hoje, mais que nunca estou plenamente convicto que para sermos capazes de Viver é necessário sentir na pele quer o êxtase da felicidade mais pura e o desespero da descida ao mais fundo dos infernos. Só assim somos capazes de encontar no nosso intimo a veracidade dos sentimentos e saber a sua importância e o seu realismo. E nos momentos em que surge uma ansiedade e se coloca um novo marco, fica nas nossa veias a sensação que a existência tem um novo significado maravilhoso

Um milagre. Apenas e só : e que por questão de fé não é necessário desenterrar nenhum dos porquês de tanta felicidade- eles estão estampados num sorriso.