5 anos

Meia década é uma medida de tempo demasiado longa para o meu gosto. De todos os projectos que me propus levar a cabo ao longo da vida não duraram tanto. Muitas vezes a volatilidade do meu planeamento não me permite levar a cabo durante tanto tempo os planos de longo curso. Também não é normal antever à distância de 5 anos, que resultados teremos da obra que acabamos de começar, e se vá evoluindo ao longo do percurso. O que ao início podia ser um relato irreverente de vivências para um grupo restrito de amigos passou aos poucos a ser um fiel depositário de momentos intimistas, ou até uma forma de expressão que age como uma válvula de descompressão.

Quem sabe se o gosto ou alguma maior constância da alma, hoje o meu diário atinge um aniversário sugestivo, e que se revela um companheiro e amigo que me tem secundado numa parte já significativa da minha vida. É com algum prazer e às vezes até muita perplexidade que revejo alguns posts passados, revejo algumas fases importantes da minha vida. Desde as dificuldades e abismos emocionais, às façanhas e alegrias que perduram, há de tudo um pouco.

Nesta cápsula dinâmica do tempo cabem muitos pensamentos, imagens e poemas que me têm atormentado ou motivado, acabando por me felicitar por ter um confidente tão estranho para um homem de meia-idade. Talvez a juventude da alma, a insensatez do momento ou a necessidade de tratar mal a língua de Camões motivem uma relação tão longa e frutuosa. Um bichinho que me faz companhia nos bons e maus momentos…

2 opiniões sobre “5 anos”

Deixar uma resposta