Astro-rei

As manhãs de Verão que se transmutam, com nuvens cinza e chuviscos tímidos, são para mim muito pesarosas e tristonhas. Reflectem um acto falhado do calor, como se o Verão fosse impotente, incapaz de concretizar o seu amor.
Guio-me pela luz, ardente, cálida e ofuscante de um sol radiante. Faz parte de mim, o rush da luminosidade do amanhecer, forte e intensa, quase ferindo a vista na sua horizontalidade, muito embora praticamente só o veja nos dias que ainda não fui à cama.

Acordar sobre o manto do astro-rei é sempre o prenúncio de um dia de boa disposição, de um cérebro alimentado logo cedo de estímulos luminosos, satisfeito, farto quando ainda estava recrutar neurónios para as funções matinais. A luz é a minha pastilha. Li algures que à indivíduos que sofrem de uma maior sensibilidade à luz. Algo a ver com uns enzimas que o cerebelo produz, assim que a retina lhe traduz a existência de raios solares. É um acordar do lagarto primordial que há em todos nós. Possivelmente sou demasiado lagarto para ter agilidade numa zona com um número meramente razoável de horas de insolação. Talvez necessite de procurar um novo habitat, onde o Sol me queime com os seus raios constantes e não fugidios.

3 comentários em “Astro-rei”

  1. Novo habitat?

    O que é que se procura num deserto? Por definição. Nada. O deserto é a ausência de tudo. A minha atracção é exactamente esta: a ausência de tudo equivale ao princípio de tudo, como uma página em branco.

    Não se encontra o que se procura, mas o que se encontra.

    Talvez encontres uma víbora preta ou um escorpião branco.

  2. Visito o blog com alguma frequencia, gosto da prosa e desde já os meus parabens. Ultimamente porem, deparado-me com grande parte do texto cortado pela coluna dos arquivos. Será erro de configuração do meu IE ou haverá alguma coisa ainda a limar no new lock do blog?

  3. Obrigado Yucon, por ser m leitor frequente.
    Realmente tenho que admitir qe o template não é lá muito perfeito, e que parece só reagir bem com código mozilla 5.0 e não 4.0 como o IE, em especial a 800X600. Mas talvez purgando o cache isso se resolva pois na semana passada parece-me que corrigi a parte que comia os cantos.

    Peço-te desculpa pelo meu mau conhecimento de CSS e html. Já estou um bocadinho farto de tentar arranjar o template, mas vou ver se arranjo solução.

Os comentários estão encerrados.