Bebendo

Nova semana começa prometendo um Jantar já no ninho.

É estranho que qualquer rotina entranha-se em nós ao fim de pouco tempo, apesar de sabermos que não vale a pena ganhar o hábito. São tarefas que se repetem dia após dia e que vão tomando conta da nossa consciência a ponto de nos comandarem.

Estou sereno e calmo como desde há muito tempo não estava. Já nem me lembro da última vez que na minha vida apareciam tantas encruzilhadas e atalhos e o caminho se tornava tão tortuoso. Apesar disso os meus horizontes estão mais alargados e não peco por me aborrecer com as trivialidades ou obstáculos. Eles existem, estão lá mas não me perco a hesitar e a temer o caminho que vou pisar.

Há sempre luz ao fundo do túnel e estou a beber as minhas recordações do Ceará, crescendo de dentro para fora, sendo mais pleno, mais equilibrado, mais forte.
Li algures que ”o teu pior adversário és tu mesmo” – nada é mais verídico hoje.

Meu irmão vem da ilha das bananas e dos cubanos amanhã por um curto espaço de tempo. Vou poder vê-lo depois de três meses de saudades.

Uma vez escreveu-me uma frase que me abalou numa altura que eu estava prestes a ceder à loucura:

Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades mas não estará só.