O filho do tio

Mesmo que se diga o contrario, a politica e o governo estão sobre uma campanha negra. Mas por muito que o primeiro ministro venha jurar a pés juntos que está inocente e qual cordeiro seja vitima dos lobos maus, e o filho do tio venha em defesa do primo, lá do mosteiro de Shao-Lin, há de facto matérias sujas envolvidas.

Então porque razão teria um ministro do ambiente de se reunir duas vezes no mesmo dia com um conjunto de empresários, num caso que era para ser da responsabilidade de um secretário de estado? E porque a morosidade cronica do Ministério do Ambiente, e os intermináveis pedidos de impacto ambiental se transformaram em 15 dias?

E acrescento – mesmo que não se prove que existiu corrupção é inequívoco que existiu pelo menos tráfego de influencias e disso o nosso primeiro não se livra: de impoluto não tem nada.

Deixar uma resposta