Fim do silêncio

Muitas vezes o silêncio é sinal de reflexão e não de alheamento. Não tenho escrito aqui no meu blogue há já algum tempo, mas isso não é sinonimo que estou sem histórias para contar. Apenas pausei de escrevinhar banalidades.

Felizmente sei que atualmente ninguém lê blogues anónimos e isso acaba por ser uma vantagem por saber que estou num exercício mais liberto de criticas e que posso explorar sem amarras de audiências o gosto de escrever. Esse gosto não se perde, fica cravado no intimo, mas fica entorpecido por falta de hábito. Escrever deveria ser um exercício diário que se torna mais fluído com a perseverança e empenho e que só trás benefícios para a alma e para o próprio cérebro.

Foi ao ler um artigo cientifico que ao escrever está-se também a meditar, e que os resultados fisiológicos são equiparados vou deixar-me a mim mesmo o repto de escrever o mais regularmente possível, em direção a uma mente mais sábia e a um espírito mais saudável.

Deixar uma resposta