Que tal o Tibete?

Ontem estive a ter uma conversa muito agradável depois do terrível desastre do FCP com a número três ou quatro do primo de N. . Era uma criatura bastante pacata que está a estudar na grande cidade e que defendia que vivemos na selva e que nada melhor que o Tibete para voltar a viver em vez de sobreviver.

N3 disse algo de interessante que não me podia bater com mais força: afinal nós é que nos acomodamos e não conseguimos aproveitar o tempo. Com um pouco de esforço podemos arranjar tempo para fazer tudo que queiramos (incluindo babar em frente à televisão num sofá entorta espinhas). Como desperdiçamos o tempo e não conseguimos descansar ou fazer aquilo que achamos prioridades é só um efeito da nossa postura passiva e pouco apaixonada face à vida.

Acho que tenho que tornar-me mais activo… mas talvez não precise de ir até a um mosteiro tibetano…