Tinta que não escorre

Tenho necessidade de escrever nas alturas em que a minha vida se defronta com um ponto de viragem, com uma fasquia mais alta, na nossa novela. Necessariamente hoje estou a passar por um dos marcos da minha vida que mais impacto trarão na minha vivência, mas de alguma forma a caneta tem estado parada e a tinta não quer escorrer.
uma caneta sem tinta
Sinto-me extasiado com emoções que necessito escrever, situar no tempo e espaço e materializar em palavras, mas estou preso por um maléfico torpor de preguiça, de ausência da inspiração que me faz pulsar o coração quando concretizo as palavras que me sobrevoam a mente.

Estou cansado, mas apaixonado, numa viagem que temo não estar à altura de conseguir realizar, mas que desejo arduamente fazer. Preciso reflectir, encontrar bases de suporte, terra firme onde alicerçar os meus pensamentos que borbulham desamparados na febre, fervendo num lume rubro.

3 opiniões sobre “Tinta que não escorre”

  1. “Estou cansado, mas apaixonado, numa viagem que temo não estar à altura de conseguir realizar”… ás vezes sinto-o também :O(

  2. Quantas e quantas vezes estes sentimentos que descreves na tua relação com a escrita não os clamo como meus. De facto nos momentos em que o escrever corre em mim é quando o escrever se torna mais díficil. Como que se a pena desliza se por infinas linhas de minha mente, descrevendo o que sinto, o que penso e nem penso. É bem mais dificil que esta caneta encontre um livro do que um sonho…

  3. Are these your words? I can understand a little, and it seems a fluency of all good sensations…is it so?
    P.s. You can in my blog answer. No problem if you don’t understand. But I’ll be happy if you do it.

Os comentários estão encerrados.