Julho 14, 2003

o animal nas Antas Creio que nada de mais revoltante existe do que quando alguém se apropria da fama de outrem. Ainda para mais quando se trata de uma personagem famosa que é diminuída . O caso “emplastro dragão“, vulgo , não deixa de ser sintomático, de como não há restrições de moral no do televisivo e do espectáculo rasca português, e de como os fins justificam todos os meios. Se não há gajas, há cromos, que é isso que o povinho gosta.

O pobre rapaz, uma singularidade inexplicável, graças à sua de aparecer na televisão, tornou-se por isso mesmo um ícone de culto e de chacota no nosso país. Quando passa a existir um aproveitamento da popular da personagem, caí-se no mais profundo dos pantanais, num verdadeiro esgoto de consciência, ao capitalizar a nefasta fama de alguém que não tem consciência dos seus actos.

Custa-me sentir que só num país de energúmenos seria aceitável colocar na televisão nacional o caricato rapaz e utiliza-lo com fonte de audiência e de promoção para o que quer que seja. (ainda para mais para mais um pimbalhão indescritivel) É algo de desumano, utilizar como num freak show, um ser humano que não tem plenas faculdades mentais e discernimento quanto à sua postura. Trata-se de encaixar e facturar às custas de um deficiente que se tornou popular – algo que considero bem pior do que o reprovável caso do homem-elefante uma vez que a vitima não tem percepção de que esta a ser utilizado única e exclusivamente pela sua anomalia. É absolutamente um caso amoral, e sem respeito pelo ser humano, verdadeiramente vergonhoso para . Como já tive a opotunidade de lêr:

«o anormal ,o louro e o xulo(jel)..perante tanta mediocridade só da para esconder a cara de …»
«…”Fenómeno Emplastro” não é mais do que o fruto propositado dos media ao aproveitarem a insanidade mental deste homem e usarem-na para “entreter” ou antes.. alimentar, a desocupação e o intelectual em que a sociedade actual vive.»

Quando vi na SIC, não quis crer que no nosso país o bom senso tinha desaparecido. Provavelmente somos um país em que o menos idiota é o Fernando da Madalena… Espero que depois disto o Balsemão vá o mais rapidamente possível à falência…