Julho 30, 2003

(i)mortalidade.

Foi com um misto de tristeza e satisfação que recebi a notícia que Pete retornará ao seu país. foi-lhe ingrato, mas ele admite que o facto de não se ter esforçado mais para falar português quebrou as hipóteses de se integrar neste país. Isso, e a atitude e certas portuguesas típicas que gostam de manter romances e esperanças dúbias, sem interesse em concretizar o esforço de sedução… Maus tratos aparte, Pete parte e deixa saudades.

Fico com pena de não ter estado mais vezes com esse amigo e astrólogo britânico. Mas fazer-lhe-á bem fugir deste país onde “nada funciona, ninguém chega às horas, onde há muita corrupção, onde os alunos são mal educados“, onde vai falta “das pessoas honestas e verdadeiramente genuínas“. Para um inglês sobreviver em é algo realmente complicado. Pete vira também a sua página, e de certeza estará mais back in London.