A maioridade


Às vezes sinto que os dias se arrastam, mas na maioria das vezes não dou pelo tempo passar. Penso que o Verão ainda tarda a chegar mas afinal já está a meio. E imperceptivelmente as folhas com dias do calendário esvoaçam, como o artificio dos filmes clássicos para saltar rapidamente para outra cena da narrativa no futuro.

A vida, as paixões, a família, amizades e trabalho canalizam o nosso fado e algures o tempo escasseia, sendo ele o último e derradeiro bem precioso que possuímos. Talvez por isso, sendo tão diminuto, o tempo não sobra para os nossos hobbies secundários.

Foi neste dia há uns bons 18 anos que iniciei esta viagem de meliante a partilhar escritos online, cheio de entusiasmos e com uma pulsão gráfica de fazer uma espécie de diário público.

O Psicotico era um je ne sais pas de exibicionismo que faria sentido na época em que a Internet era uma terra prometida da individualidade e da comunicação sem limitações.  Talvez depois fosse isso e muito mais, e talvez hoje seja apenas um fóssil anacrónico, espetado numa parede online onde já ninguém para para o ler.

Mesmo assim sinto a saudade do vigor e excitação que tinha quando clicava na tecla «publicar agora». Talvez  ainda sinta um pouquinho dessa sensação de expectativa e controlo, numa espécie de saudosismo de juventude.

Afinal de contas 18 anos é uma vida. E o meliante é já maior de idade. Parabéns!


Deixar uma resposta